Thursday, January 31, 2008

Jill Greenberg - End times












End times foi um trabalho realizado no final de 2006 por Jill Greenberg. A tática foi dar um pirulito pras crianças e derepente tirá-los delas. O resultado dramático do confisco foi alcançado nas fotos. O objetivo do trabalho, segundo a fotografa, é mostrar que as crianças não escondem as suas emoções, exprimem o que sentem quando o sentem.

www.manipulator.com

Monday, January 28, 2008

Não por acaso - 2007



Não por acaso é uma produção nacional dirigida por Philippe Barcinski e foi lançado em DVD em novembro de 2007, eu olhei ontem e gostei muito. Achei bem pouco divulgado pela qualidade e história que o filme tem, pois além de ter uma fotografia primordial e uma trilha sonora nacional de nível internacional, Não por acaso tem um enredo muito criativo e intrigante.
O filme conta 2 histórias paralelas de personagens que tem uma visão da vida muito minimizada, baseada em seus trabalhos (Pedro interpretado por Rodrigo Santoro fabrica mesas de sinucae e Ênio, Leonardo Medeiros, é vigilante de semáforos da companhia de engenharia de tráfego paulistana) e uma intersecção entre seus futuros dá a eles uma chance de ampliar seus horizontes.
Vale a pena olhar !!

Wednesday, January 23, 2008

Sunday, January 13, 2008

Put the guns down !

Attica !! Attica !!

Barletta - Revolutionary modular club



Barletta - Revolutionary modular club

01-kluster 7 - sick
02-shlomi abe feat. lemon -moods (valentino kanzyani)
03-jesse garcia - off da hook (funkerman)
04-outwork - out of time
05-sentrafuge - music is electric
06-astronivo - cordi
07 - Giorgio Giordano - Different Roads (Crossroads)
08-sissoko - flying to namibia (electroboogaloo)
09-beatman and ludmilla - couldnt leep (shiloh)

Esse cd é bem mais progressivo que os últimos, baixos quebradeira, cortadas afiadas e uma sucinta volta de elementos tribal. Tem alguma coisa de electro, mini e techhouse no meio porque gosto de variar, mas to voltando a minha preferência pros progs novamente. Detalhe no Shlomi Aber, esse israelelnse pra mim promete muito e com certeza é um dos destaques do som eletônico do momento na minha opinião. So...

Friday, January 11, 2008

"Paranoid Park" - Juventude Perdida por Rod Carvalho


Imagine ser acusado de algo que você não fez. Estar no lugar errado, na hora errada. Se sentir ameaçado, com a sensação de ser perseguido, ou prestes a ser surpreendido por algo inesperado. Para Alex, um skatista de 16 anos, essas sensações o levam a alguns questionamentos aquém de um mero pré-adolescente. Com base nessa paranóia juvenil, o diretor Gus Vant Sant aponta suas lentes na direção dos adultos sob o ponto de vista de um jovem. Isso é “Paranoid Park”.

Baseado no livro homônimo de Blake Nelson, o longa tem muitas semelhanças com o “Kids” (1995), do diretor Larry Clark. Ambos retratam de forma nua e crua um grupo de adolescentes skatistas que não querem nada com nada e só pensam em se divertir sem ter noção dos seus atos. Como Clark, Vant Sant também usou atores desconhecidos – muito deles escolhidos através do site My Space – para dar um ar realista um tanto documental à trama. Semelhança a parte, com Alex, o diretor vai além. Como se estivesse numa roda-gigante, Vant Sant leva o espectador a uma viagem lisérgica. São ângulos de câmeras perfeitamente editados, somados a pequenos diálogos e uma trilha sonora hipnótica que chapa. Uma pequena dose de alucinação não prejudicial à saúde. Esta perspectiva tão real de Alex nos faz sentir o que ele sente.

Um filme de arte. Esta seria uma definição perfeita se “Paranoid Park” não fosse obra de Gus Vant Sant. Para um cineasta nada convencional como ele, a arte faz parte de seu ofício. Cabe a cada espectador estar pronto ou não para digerir o seu ponto de vista. Pensar nunca fez mal a ninguém.


Rod Carvalho é crítico de cinema, ator e meu brother, e escreve para o cinetotal.com.br, de onde extraí esse texto. Thanks bro!

Tha Ape Visit #1


I'll introduce you Leti "MarchDazed" Dezorzi. Special friend and contemporary mind.

Qual seu estilo de vida?
-Living life in the fast lane with seat belt, airbag and a helm.

-Um clássico:
-Chanel

-Um contemporâneo:
-Bossa ´n Marley, anos 80 e aquecimento global.

Um cheiro:
-Os adocicados

Um gosto:
-Uva verde

Uma visão:
-A beleza do mundo

Um som:
-Qualque coisa com uma linha de grave convincente. Music is my hot hot sex.

Um toque:
-pele + pele

Uma arte:
-tattoos

Diretor preferido:
-Bernardo Bertolucci

Filme:
-Great Expectations

Modo de relaxar:
-virar a noite vendo o dia clarear

Sexo preferido:
-errr, masculino?

Uma previsao de tempo de vida para a Terra:
-a Terra regenera, sempre.

O que pensa do ser humano?
-O ser humano degenera, sempre.

O que lembra a sua infância?
-Caverna do Dragão

Um estado alterado da mente:
-o primeiro e o próximo.

Se fosse pra chocar uma platéia faria o que?
-In a time of universal deceit, telling the truth is a revolutionary act.


Se fosse um desenho animado seria quem?
-Bat Girl

Whisky te deixa:
-achando as pessoas mais interessantes


Tequila te deixa:
-louca desmemoriada.

Champagne te deixa:
-achando que a vida é (mais) bela.

Amar é:
-estar acima do tempo, espaço e movimento.

Fuck off what?
-As verdades perfeitas das pessoas de alma pequena.

Frase para os bons:
-“o bom coração rompe a má sorte”

Frase para os maus:
-“O julgamento e a condenação morais são a vingança predileta dos espíritos tacanhos para com os que são menos, além de uma espécie de indenização por terem sido mal dotados pela natureza, e finalmente uma oportunidade de eles próprios obterem espírito e tornarem-se finos: - a maldade espiritualiza-se. Bem no fundo do coração agrada-lhes que exista um padrão que ponha ao seu nível os abundantemente dotados de bens e privilégios de espírito: - lutam pela «igualdade de todos perante Deus» e para isso é que quase precisam da fé em Deus.

Thursday, January 10, 2008

...


“ Os bons e generosos
a nossa voz entendem
e com arroubo atendem
ao nosso rouco som;
mas só os ignorantes
e férridos e duros,
imbecis e obscuros,
nom nos entendem, nom.”

Eduardo Pondal

Chilli Beans by Steven Smith




Monday, January 7, 2008

Friday, January 4, 2008

Evel Knievel




O cara era um louco varrido mesmo !!! Vale a pena olhar o filme da história dele !!